“É a forma de arte que envolve, de algum modo, a participação do espectador
… Muitas obras de arte na Internet ou arte electrônica são altamente interativas, fazendo o visitante navegar por hipertextos, aceitando que a participação ou a influência da audiência local ou remota altere o curso da obra.”

Fonte: pt.wikipedia.org/wiki/Arte_interativa

“ …toda a arte é interativa; na medida em que toda a expressão artística é fruto da interação entre a obra, o artista e o interpretante. Os signos que compõem a obra de arte são expressos pela interação entre a subjetividade do artista (emissão), o meio pelo o qual ele dispõe para materializar a obra (transmissão). E, à luz da teoria dos signos de Pierce, consideramos que o signo artístico como qualquer outro só adquire realmente sentido de arte quando exposto a um interpretante ou um interagente capaz de dinamizar a obra de arte (recepção). Desta forma, o processo artístico é um complexo inter-relacional, uma permutação signa entre múltiplos elementos integrados a um campo dialógico em constante movimento, onde cooperação e conflito originam uma linguagem estética que comunica uma ética inerente a cada cultura e a cada época, mas que está presente em todas manifestações criativas. ”

Arte e Interação: Nos Caminhos da Arte Interativa?   Por Leonardo Forny 
http://www.razonypalabra.org.mx/anteriores/n53/lforny.html

Anúncios

 Movimentos Artísticos 

arte cinética              op art                      arte telemática

arte ambiental                       land art, earth-art

arte pública                   graffiti art            wall painting           3D Street Art

place-specific                         site-specific 

arte processual                    arte sonora                        arte robótica

body art, arte do corpo                 bioart

wearable art                  arte generativa

              Na Cibercultura:  Arte digital… tecnológica….multimídia

computer art                cultura numérica                     ciberarte

net art               arte multimídia            arte eletrônica

hacktivismo                   transmission art                          arte genômica

glitch art              game             machinima          open source art…

“o movimento social e cultural que o ciberespaço propaga,
um movimento potente e cada vez mais vigoroso, não converge sobre um conteúdo particular,
mas sobre uma forma de comunicação não midiática interativa,
comunitária, transversal, rizomática.
Nem a interconexão generalizada, nem o apetite das comunidades virtuais,
nem tampouco a exaltação da inteligência coletiva constituem os elementos de
um programa político ou cultural no sentido clássico do termo.
E ainda assim, todos os três talvez sejam secretamente movidos
por dois “valores” essenciais: a autonomia e a abertura para a alteridade.”

Pierre Levy, Cibercultura . 1999
http://www.scribd.com/doc/11036046/Cibercultura-Pierre-Levy

Atribuições

      Alteridade                                              Territorialidade                                       Trajetória

Reversibilidade                   Transitoriedade                            Modulações   

                      Conectividade                                    Reprodutibilidade                            Simulacro  interativo                          

Marcel Duchamp
Blanville-Crevoni, 1887 – Neuilly-sur-Seine, 1968

Dadaísta, trabalhou conceitos do impressionismo, cubismo e expressionismo…
Influenciou o Surrealismo, o Expressionismo Abstrato, a Arte Conceitual…

“Fonte”, 1917

Os ready made buscam escapar da “arte retiniana”
que agrada à vista,
confrontam o espectador,
propondo uma arte mais “cerebral”.

 

“O Grande Vidro” 1915-1923 Originalmente “A Noiva e seus celibatários”

“Reversibilidade: nós nos olhamos olhando- a e ela se olha em nosso olhar que a olha nua”.
Otávio Paz
em “Marcel Duchamp ou O Castelo da Pureza” , 1997
“Resumindo, o ato criador não é executado pelo artista sozinho; o público estabelece o contato entre a obra de arte e o mundo exterior, decifrando e interpretando suas qualidades intrínsecas e, desta forma, acrescenta sua contribuição ao ato criador. Isto se torna ainda mais óbvio quando a posteridade dá o seu veredicto final e, às vezes, reabilita artistas esquecidos”
Marcel Duchamp 

ARTE E CONCEITO EM MARCEL DUCHAMP UMA REDEFINIÇÃO DO ESPAÇO, DO OBJETO E DO SUJEITO ARTÍSTICOS – José D’Assunção Barros
www.scribd.com/Arte-e-Conceito-Em-Marcel-Duchamp-BARROS-Jose-D-Assuncao

Lygia Clark
Belo Horizonte, 1920  – Rio de Janeiro, 1988) 

Exploração tempo-espaciais
“superfícies moduladas”
Manipulação da obra
“objetos relacionais”

“Os Bichos” 1960

“Arquiteturas biológicas “, 1972

“A Casa é o Corpo: Labirinto”, 1968